Mundo
OMS confirma 780 casos de varíola dos macacos em 27 países
  • OMS confirma 780 casos de varíola dos macacos em 27 países

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informou, neste domingo (5), que 780 casos de varíola do macaco ja foram confirmados no mundo desde 13 de maio até a última quinta-feira (2). Os casos se distribuem em 27 países onde o vírus não é endêmico.

"É altamente provável que outros países identifiquem mais casos e que haverá maior expansão do vírus", garantiu a organização de saúde do sistema ONU.

Segundo a OMS, os países não endêmicos que registraram mais casos são: Reino Unido (207), Espanha (156), Portugal (138), Canadá (58) e Alemanha (57). Além de Europa e América do Norte, foram registrados casos também na Argentina, Austrália, Marrocos e Emirados Árabes Unidos.

O órgão, no entanto, avalia que o risco global causado pelos surtos é moderado, uma vez que esta é a primeira vez que uma quantidade tão grande de casos são reportados simultaneamente em diferentes países fora do continente africano.

"Embora o risco para a saúde humana e para o público em geral continue sendo baixo, o risco para a saúde pública pode ser elevado se o vírus conseguir se estabelecer em países não endêmicos como patógeno humano generalizado", afirmou a organização.

Não há registro de mortes causadas pela varíola dos macacos nos países não endêmicos. Nas regiões endêmicas, no entanto, já foram registradas, desde o início do ano, 66 mortes, 58 delas concentraram-se na República Democrática do Congo. 

Segundo a OMS, os países endêmicos são: Camarões, República Centro-Africana, República do Congo (Brazzaville), República Democrática do Congo, Libéria, Nigéria, Serra Leoa, Gabão e Costa do Marfim, além de Gana, onde vírus só foi identificado em animais.

No Brasil, ainda não há caso confirmado da doença. Contudo, na última segunda-feira (30), o Ministério da Saúde informou que foi notificado sobre dois casos suspeitos de varíola dos macacos, um no Ceará e outro em Santa Catarina. Um terceiro está sendo monitorado no Rio Grande do Sul, mas ainda não é chamado pela pasta como suspeito.

06/06/2022/ 06:32:19
Outras Notícias
  • Cientistas chineses identificam novo vírus em humanos: 'Langya henipavirus'
Cientistas chineses identificam novo vírus em humanos: 'Langya henipavirus'
10/08/2022/ 06:31:36

Cientistas chineses publicaram, na revista científica The New England Journal of Medicine, um alerta sobre a identificação de um novo vírus no país. Nomeado por eles como Langya henipavirus (LayV), o agente patogênico já infectou 35 pessoas e foi relacionado a indivíduos que mantêm contato frequente com animais. As ...

  • EUA dizem que mataram Ayman al-Zawahiri, chefe da Al Qaeda, no Afeganistão
EUA dizem que mataram Ayman al-Zawahiri, chefe da Al Qaeda, no Afeganistão
02/08/2022/ 06:37:19

Os Estados Unidos fizeram uma operação militar em Cabul, no Afeganistão, no domingo (31), e mataram o líder Ayman al-Zawahiri, um dos fundadores da Al-Qaeda. Não há vítimas civis, segundo dirigentes do governo americano que pediram para não serem identificados.Al Zawahiri sucedeu Osama bin Laden em 2011, após a mort...

  • OMS recomenda redução de parceiros sexuais como prevenção a varíola dos macacos
OMS recomenda redução de parceiros sexuais como prevenção a varíola dos macacos
28/07/2022/ 06:32:53

O diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus , recomendou nesta quarta-feira (27) que homens que fazem sexo com outros homens reduzam o número de parceiros sexuais como forma diminuir a transmissão da varíola dos macacos.  De acordo com o portal Metrópoles, parceir...

  • EUA repetem forte alta dos juros mesmo sob risco de recessão
EUA repetem forte alta dos juros mesmo sob risco de recessão
28/07/2022/ 06:32:10

O Fed (Federal Reserve, o banco central americano) anunciou nesta quarta-feira (27) um novo aumento de 0,75 ponto percentual dos juros, elevando a meta máxima da taxa para 2,5% ao ano. O foco do aperto ao crédito é combater a inflação nos Estados Unidos, que está na casa dos 9,1%, a maior em quatro décadas. Sin...